JÚRI

Luísa Tender – Presidente do Júri 

Luísa Tender nasceu no Porto, onde estudou piano com Anne-Marie Mennet, Pedro Burmester e Helena Sá e Costa. Entre 1997 e 2000, foi aluna de Vitalij Margulis em Los Angeles; e posteriormente de Irina Zariskaya, no Royal College of Music em Londres, onde obteve o grau de Master of Music. Foi também aluna de Marian Rybicki e recebeu o Diplôme Supérieur d’Exécution em piano na École Normale de Musique de Paris.

O seu primeiro CD (Bach and Forward, edição de autor, Londres 2009) foi Escolha do Mês na revista britânica Classical Music. O seu segundo trabalho discográfico, Página Esquecida, um cd duplo com obras portuguesas para violoncelo e piano com Bruno Borralhinho (Dreyer & Gaido, Berlim, 2009), recebeu também os melhores elogios em publicações da área da Música (Fanfare, Strings Magazine, Das Orchester, entre outras).

Gravou a integral das sonatas para piano de J. D. Bomtempo (Naxos/Grand Piano, 2019), um trabalho que teve grande destaque na imprensa internacional especializada (Ritmo, Music Web International, Stretto, Musikalifeiten). A Revista espanhola Ritmo dedicou-lhe um longo artigo de capa intitulado «Tiempo para Bomtempo – Luísa Tender». Luísa publicou ainda, em co-autoria com Manuel Pedro Ferreira, um álbum didáctico multimédia: O pescador de sons (Lisboa, CESEM, 2019). A propósito de um dos seus concertos, o London Independent descreveu-a como «a natural Beethovenian».

Foi durante dois anos lectivos assistente convidada na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE). Actualmente, reside em Lisboa e é Professora Titular de Piano na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco (ESART). É presidente da assembleia-geral da EPTA-Portugal (European Piano Teachers Association).

Tiago Nunes – Diretor

Tiago Nunes, natural de Coimbra, cedo revelou paixão e aptidão para o mundo da música, tendo iniciado o estudo de piano desde cedo, no Conservatório de Música de Seia, onde concluiu o Curso Básico. Mais tarde frequentou o Curso Complementar de Piano no Conservatório de Música de Coimbra, na classe da professora Rita Dourado, tendo finalizado este com elevada e distinta classificação. Apostando sempre no crescimento e formação tem participado em diversas masterclasses de vários pianistas distintos nos quais se incluem: Aquilles Delle Vigne (Argentina/Bélgica), Fausto Neves (Portugal), Álvaro Teixeira Lopes (Portugal), Paulo Oliveira (Portugal), Luísa Tender (Portugal), Nancy Lee Harper (EUA/Portugal), Paul Badura-Skoda (Áustria), Rudolfo Rubino (Itália), Shao Ling (China), Yi Wu (China/EUA), entre outros. Concluiu a sua licenciatura em piano, variante performance sob a orientação do pianista Fausto Neves. No seu currículo já conta com vários prémios, distinções e recitais a solo por toda a Europa. Desde o início de 2015, é o diretor artístico do Ciclo de Concertos Coimbra que decorre em Março na cidade de Coimbra e que este ano contará com a sua quinta edição.  No seguimento da segunda edição, participou na fundação da Associação CulturXis da qual é presidente. É o diretor do concurso de piano de Oeiras desde a sua fundação. Na sua actividade como professor, conta com mais de 20 alunos premiados em concursos nacionais e internacionais. Desde 2017 que lecciona e coordena o departamento de piano no Conservatório de Artes do Montijo. Em 2020 juntamente com o pianista António Luís Silva formam o H4NDS Duo de piano a quatro mãos e lançaram o seu primeiro disco em 2021.

Armando Mota

Armando Mota nasceu em Lisboa Aos 5 anos deu o seu primeiro recital de piano no Conservatório Nacional, onde terminou o seu curso com 18 valores. Teve como professores em Portugal, Francine Benoit, Campos Coelho e Lourenço Varela Cid.Aos oito escreveu as suas primeiras composições que tocou para João de Freitas Branco, no Teatro Nacional S. Carlos. Embora a sua actividade musical no inicio da sua carreira se concentrasse no piano, mais tarde, após ter concluido o curso de direcção de Orquestra em Viena, começou igualmente a dedicar-se à actividade de maestro ,tendo fundado a sua própria orquestra ,Akademia, com a qual tem discos gravados.Como não bastasse a sua actividade de pianista e maestro, posteriormente dedicou-se a outra das suas actividades favoritas, a composição. Como pianista actuou por toda a Europa com destaque para a Áustria, Alemanha, Portugal e Itália.Viveu 10 anos em Viena onde estudou  e se formou na Hochschule für Musik und Darstellende Kunst, nas classes de Hans Graf piano e Karl Randolf em direcção de orquestra. Foi aluno de Armando José Fernandes em composição. Como maestro dirigiu em Portugal A Orquestra Gulbenkian, A Orquestra do Algarve. A OSA, e no estrangeiro a Orquestra de Gdansk, Orquestra Akademia de Viena,a orquestra chinesa de Zhie Jang entre  outras.Como compositor tem várias obras sinfónicas, entre elas a “Suite das Descobertas” o concerto para clarinete e orquestra de cordas, dois concertos para piano , um para violino, um para acordeão e orquestra e um para piano a 4 mãos. Foi professor em Viena e mais tarde  na Academia de Musica de Lagos e no Conservatório Regional do Algarve. Radicou-se há 20 anos na região Algarvia, onde foi professor e fundador de um Conservatório, tendo recentemente fundado a Orquestra Sinfónica do Algarve.É o director artistico do Festival internacional de Piano do Algarve, e presidente da Artedosul a entidade responsável pelos maiores eventos de musica erudita na região. Berlin foi a cidade onde viveu igaulmente 11 anos, e onde teve oportunidade de conhecer pessoalmente grandes nomes da musica, tornando-se amigo de alguns como WladimirAskenazy, Alexis Weissenberg, e Itzak Perhlman. Foi nesta cidade que teve a oportunidade de aprender os meandros do management e do mundo empresarial no ramo da musica erudita. Nunca se dedicou exclusivamente a uma só actividade não tendo o fascinio por uma carreira. Dotado de vários talentos, as diversas solicitações, tanto podem passar por  preparar um concerto para piano, como dirigir um concerto, ou escrever uma obra. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, do estado Português, e do estado Austriaco.

Tem um conhecimento profundo do mundo do espectáculo. Seu pai era musico, e desde pequeno que acompanhava os ensaios da orquestra de seu pai. Seu avô foi mestre de cena do Teatro Nacional S. Carlos durante 40 anos, o que lhe proporcionou ouvir um grande reportório de óperas e bailados desde muito jovem.

Jaime Mota

Concluiu muito jovem os Cursos Superiores de Piano e de Composição com 20 e 17 valores, no Conservatório de Música do Porto, nas classes de Fernando Azevedo e Cândido Lima.Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian estudou com Sequeira Costa e Tania Achot.

No domínio do Lied e da música de câmara com piano, e como bolseiro da Secretaria de Estado da Cultura, estudou na Hochschule Mozarteum de Salzburg com Paul Schillawsky e Erika Frieser.É autor de diversos projetos de divulgação de obras de compositores portugueses, tais como, “Perspetiva da obra para canto e piano de compositores do Porto do século XX”, “Poemas para Canto e Piano”, “Um breve olhar musical sobre a poesia de Florbela Espanca” e “Canções populares portuguesas de Fernando Lopes Graça”. Estes projetos, patrocinados por organismos públicos, incluem primeiras apresentações e gravações em CD.Publicou recentemente o livro “Piano – Notas de leitura e acompanhamento”.Em colaboração com a Casa da Música, foi diretor musical da obra “The Golden Vanity”, de B. Britten, cantada e representada por 72 crianças e patrocinada pelo Serviço Educativo. Com o Estúdio de Ópera desta instituição, participou igualmente em diversos projetos e orientou Workshops, entre os quais, “O casal Schumann”, “Lirismo no final do século XX”, “A Voz Humana”, “À volta da Casa” e “Novas Músicas”. Foi professor de Piano, Piano de Acompanhamento, Música de Câmara, Correpetição e Composição em diversas escolas de música públicas e privadas, no Conservatório de Música do Porto (16 anos), na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (22 anos) e na Universidade de Aveiro (12 anos). Atualmente, aposentado do ensino público, leciona na Escola de Música de Costa Cabral e no Conservatório Regional de Música de Gaia.

Nuno Batoca

Iniciou os seus estudos de piano aos 8 anos de idade com Maria Fernanda Macedo, tendo sido mais tarde aluno particular do Professor Campos Coelho. Ingressa no Conservatório Nacional onde irá estudar com Paulo Santiago e António Toscano (piano) e Fernando Eldoro (música de câmara) tendo terminado o curso com elevada classificação. Prossegue os estudos superiores na Escola Superior de Música de Lisboa (estudando com Tânia Achot e Olga Prats) e mais tarde na Universidade de Évora onde termina a Licenciatura (via ensino) nas classes de Miguel Borges Coelho e Elizabeth Allen (piano) e Liliana Bizineche (música de câmara). Paralelamente tem seguido a carreira de docente em instituições como a Escola Profissional de Música de Almada, Conservatório Regional de Almada, Conservatório Regional de Setúbal (desde 1995) e a Escola de Música do Conservatório Nacional (de 2005 a 2019) como Professor de Piano e Música de Câmara. Frequentou diversas Masterclasses, como participante ou como ouvinte, de renomados pianistas como Pedro Burmester, Sequeira Costa ou Claude Frank e venceu o 1º lugar (regional) do Concurso da Juventude Musical Portuguesa em 1988 realizado em Linda-a-Velha e o 3º Prémio do Concurso da Juventude Musical Portuguesa em 1995 na vertente de Música de Câmara. Foi Director Pedagógico do Conservatório Regional de Setúbal em 2003 e Coordenador da Classe de Piano da mesma instituição de 2004 a 2006. De 2012 a 2016 foi jurado e organizador da vertente de piano do “Concurso Internacional de Música Cidade de Almada”,

Tem-se apresentado, como solista ou integrado em agrupamentos de câmara em locais como: Museu de S. Roque (Lisboa), Museu Nacional de Arte Antiga (Lisboa), Teatro Taborda (Lisboa), Auditório do Fórum Romeu Correia (Almada), Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, Auditório da Universidade de Évora, Teatro José Lúcio da Silva (Leiria), Club Setubalense (Setúbal), Casa de Fataúnços (Vouzela), Convento dos Capuchos (Almada) e Centro Cultural de Lagos, entre outros.

Pedro Ferro

Pedro Ferro recebeu as primeiras influências musicais pelas mãos do seu Pai, o pianista de Jazz João Maurílio. Posteriormente, integra a classe particular de piano da professora Maria Fernanda Chichorro, tendo prosseguido os seus estudos musicais no Conservatório Nacional de Lisboa na classe de piano da professora Melina Rebelo, onde concluiu no ano 2000, com a classificação máxima, o Curso Complementar de Piano. Nesse mesmo ano ingressa na Escola Superior de Música de Lisboa, onde termina a Licenciatura em Música/Piano na classe da professora Tânia Achot e Música de Câmara com a professora Olga Prats.  No ano de 2012, conclui o Mestrado em Interpretação/Piano na Universidade de Évora, com a classificação de 19 valores, sob a orientação do pianista António Rosado e do Prof. Dr. Christopher Bochmann. Em Julho de 2016, sob a orientação do Professor Jorge Moyano, conclui o Mestrado em Ensino da Música na Escola Superior de Música de Lisboa. Realizou cursos e master-classes com Helena Sá e Costa, Paul Badura-Skoda, Pedro Burmester, Sequeira Costa, Vladimir Viardo, Francisco Sassetti e Maria João Pires.  Como jovem pianista, participou em diversos concursos, dos quais se destacam o Concurso Maria Campina em 1997 – 2º Prémio; Concurso Florinda Santos em 1998 e 2000 – 2º Prémio. Em 1999 a Yamaha Musical Foundation of Europe atribui-lhe a Bolsa “Yamaha Scholarship/Piano”. Atuou em diversas salas do país, tais como Palácio Foz; Museu da Música; Auditório da Academia de Música S. João da Madeira; Auditório Luísa Todi; Teatro Municipal de S. Luiz; Recreios da Amadora, Casa da América Latina, com transmissão em directo para a rádio Antena 2; Centro Cultural de São Lourenço, em Almancil; Centro Cultural de Cascais; Centro Cultural de Belém; Igreja de S. Roque. Apresentou-se como solista com a Orquestra da Escola Superior Música de Lisboa, sob a direcção do Maestro Vasco Pearce de Azevedo, tendo realizado concertos no Palácio Nacional da Ajuda e no Teatro Municipal de Almada (Teatro Azul).

Em 2009 foi convidado pelo Maestro José Atalaya para participar no Concerto de Encerramento da 1ª parte da Temporada “Música em Diálogo”, no Auditório Ruy de Carvalho. Pedro Ferro é professor de piano no Instituto Gregoriano de Lisboa e professor acompanhador na Escola Superior de Música de Lisboa.

Rita Dourado

Nasceu em Coimbra e iniciou os seus estudos artísticos no Conservatório Regional de Coimbra na classe de Piano do professor Viriato Marinho Marques. Terminou o curso do Conservatório na classe da professora Fernanda Casais e mais tarde ingressa na Universidade de Aveiro, Instituição na qual termina a Licenciatura e, posteriormente, o Mestrado em Piano, sempre sob a orientação do pianista Álvaro Teixeira Lopes. Estudou com a pianista Helena de Sá e Costa e participou em várias Master Classes enquanto aluna de Licenciatura em Piano da UA. Desde 1988, integrou a Academia Monteverdi, tendo-se apresentado em Música de Câmara em vários concertos por todo o país. Foi pianista acompanhadora de vários cursos de Canto, orientados por cantores de renome nacional e internacional, tais como, Fernanda Rovira, Mário Mateus e Oliveira Lopes. Enquanto solista, apresentou-se  em vários Festivais de Música, em Portugal e Itália, tendo a partir de 2009 participado como convidada em concertos de Câmara  com  Orquestra Barroca, dirigida pelo violinista António Ramos.

É docente de Piano da Escola Artística do Conservatório de Música de Coimbra desde 1989. Na qualidade de docente integrou, como oradora, seminários relacionados com a pedagogia musical e com a carreira profissional de professores do ensino artístico. Tem integrado vários Júri de Piano a nível Nacional, como elemento convidado.

Rosgard Lingardsson

Natural da Dinamarca, Rosgard Lingardssoniniciou os estudos com Gunnar Hallhagen. Na Flórida (EUA) estudou ainda com Harold Sanford – discípulo de Joseph Lhevinne. Sob a orientação do aclamado pianista e pedagogo Stanislav Knor, concluiu com distinção os estudos superiores em Piano Performance (1986) e Pedagogia de Piano e Música de Câmara (1988) na Academia Real Dinamarquesa de Música (Copenhaga). Ganhou vários primeiros prémios em concursos, entre os quais o Den Kungliga Musikaliska Akademis Utlands Stipendium (1983), um dos mais importantes da Escandinávia, bem como inúmeras bolsas para estudar nos EUA, na Suécia e na Dinamarca. Vive em Portugal desde 1992 e é docente de Piano no Conservatório de Música do Porto desde 1999. Os seus alunos são regularmente premiados em concursos nacionais e internacionais. Tem actuado em concertos e festivais na Suécia, Dinamarca, Áustria, Portugal, Grécia e Estados Unidos. Em Portugal tocou em salas de renome como Teatro Ibérico e Palácio de Foz (Lisboa). Recentemente participou nos Encontros de Piano da Fundação Eng.º António de Almeida (Porto).

Zoran Imširović

Zoran Imširović nació en 1979 en Yugoslavia. Adquirió su primera formación musical profesional en Niš, relativamente tarde, a los 14 años en la clase de la profesora Svetlana Korunović, trabajando simultáneamente con Miroslava Lili Petrović en Belgrado.

En 1997, Zoran cursó estudios en Munich y sus profesores eran pianistas distinguidos: Vadim Suchanov, Michael Leslie, Gernot Sieber, Roxana Steubing y Olaf Dressler. Los impulsos musicales especiales y la educación se dieron a través del conocimiento y trabajo de muchos años con grandes pianistas como Klaus Schilde y Elisso Virsaladze, y la masterización adicional de obras maestras con pianistas como Rudolf Kehrer, Michail Voskresensky, Amadeus Webersinke, Georg Sava, Karl Betz, Naum Starkman, Elisso Virsaladze, Klaus Schilde y Menahem Pressler.

Tras finalizar sus estudios, vive en Munich y realiza conciertos en Italia, Alemania, Francia, España, Austria, Suiza, Hungría, Rumania, Bulgaria, Malta y los países de la antigua Yugoslavia. Entre sus premios y distinciones destaca el León de Oro del Véneto (Italia). 

Sobresale especialmente su gira de “Franz Liszt – Superstar” con las grabaciones para la televisión estatal alemana con motivo del 200 aniversario del nacimiento del compositor. Como artista en constante búsqueda de nuevas formas de acercar la música al público, en 2014 inició un proyecto conceptualmente único, el Festival de Música Clásica – Piano Summer, el mayor festival de piano del sur de Europa.