JÚRI

Carla Seixas – Presidente do Júri 

Nasceu em Luanda, Angola. Iniciou os estudos de piano, na Escola de Música do Conservatório Nacional, com Noémia de Brederode e Olga Prats, prosseguindo-os com Sequeira Costa e Tânia Achôt. Em 1977, diplomou-se com a classificação máxima, tendo depois frequentado a classe de Piano de  Sequeira Costa, na Universidade de Kansas, na qualidade de bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Participou em masterclasses de Leon Fleischer, Gary Graffman, Josef Palaniceck e Helena Sá e Costa. Como bolseira da Secretaria de Estado da Cultura, estudou durante quatro anos em Paris, sob a orientação de Jean Fassina. A sua actividade musical reparte-se por repertório solístico e música de câmara, com que se tem apresentado em recitais nas principais salas de concertos do país, como a Fundação Gulbenkian, Teatro Nacional de São Carlos e Teatro Municipal de São Luiz, entre outras. Tocou ainda nos Festivais Internacionais de Sintra, Estoril, Figueira da Foz, Leiria e Algarve. A solo, por diversas vezes actuou com a Orquestra Sinfónica Juvenil. Além de Portugal Continental e Ilhas (Açores, Madeira), actuou igualmente noutros palcos europeus – Paris, Alemanha, Holanda, Dinamarca -, bem como em palcos internacionais, como Macau, Bahamas, Zimbabwe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo-Verde, Índia, Colômbia e Austrália. Com Lia Altavilla (soprano) gravou a obra integral para Canto e Piano de Francisco de Lacerda, «Saudades da Terra», para a etiqueta Fine Arts. Foi Professora de Piano no Conservatório Nacional de Lisboa de 1978 a 2011, tendo também leccionado no Orfeão de Leiria e na Academia de Música de Santa Cecília. 

António Toscano

Nasceu em Lisboa em 1951. Frequentou o Conservatório  Nacional de Lisboa, onde concluiu em 1977 o Curso Superior de piano. Aí, frequentou as classes de Noémia de Brederode e de Adriano Jordão e participou nas master classes de Jörg Demus. Tendo trabalhado simultaneamente com Sequeira Costa e Tania Achot, continuou os seus estudos com estes professores na Universidade de Kansas. Nesta Universidade, para além de ter tocado nos recitais de honra, participou nas master classes dos Prof.s Gary Graffman e Leon Fleischer. Leccionou na Fundação Musical dos Amigos das Crianças, na Academia de Amadores de Música, no Conservatório Nacional de Lisboa  e no Conservatório Regional de Setúbal. Trabalhou durante 20 anos na Antena 2 da RDP, onde exerceu as funções de realizador e de Chefe de Departamento de Programas Musicais. Como concertista podem destacar-se actuações em Lisboa (Teatro Nacional de São Carlos, Teatro Municipal de São Luis, Aula Magna, Grémio Literário, etc.) e noutras cidades do país. Apresentou-e ainda em Macau, Espanha e Brasil. Manteve durante anos colaboração artística regular com o soprano Elvira Ferreira. Para além de recitais a solo e de música de câmara para a RTP, gravou um CD com a Integral da obra para piano de António Fragoso e integrou a lista seleccionada por António Vitorino de Almeida para o CD “Pianistas Portugueses”.

Adriano Jordão

O pianista Adriano Jordão nasceu em Angola em 1946.
Ganhou numerosos prémios em competições nacionais e internacionais tendo especial destaque o 1º Lugar no Concurso Internacional de Debussy, em França.
A carreira artística de Adriano Jordão levou-o a apresentar-se por toda a Europa, América do Norte e do Sul, bem como em África e na Ásia.
Depois da sua estreia na América do Norte , com a Kingsport Symphony, no Tennessee, atuou em São Francisco, Washington, Boston e em New York, no prestigiado Lincoln Center com a New Orchestra of Boston sob a direção de David Epstein e também no Carnegie Hall, também em New York, com a Queen’s Symphony Orchestra sob a direção de John Neschling; ainda no continente norte americano deu vários concertos no Canadá.
Colaborou com os mais importantes maestros portugueses e estrangeiros, destacando-se Alain Lombard, Sandor Végh, Claudio Scimone, Van Remoortel, Richard Treiber, Christian Mandeal, Horia Andreescu, David Epstein, Peter Feranec, Nicholas Kremmer, Nicholas Braithwake , e também com os maestros Chineses Muhai Tang, Yuan Fang e Chen Zou Huang. Adriano Jordão é um apaixonado pela voz humana, colaborou com grandes estrelas mundiais do canto como Ileana Cotrubas, Peter Schreier, Teresa Berganza, Katia Ricciarelli, Julia Hamari, Lella Cuberli e Alfredo Kraus.
De 2004 a 2011 foi Adido Cultural de Portugal em Brasília, no Brasil, e recentemente de 2013 a Abril de 2016, foi vogal do Conselho de Administração do Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa.
Foi director artístico do Festival de Música de Sintra em 2015, 2016 e 2017 e é desde 2016 o Director Artístico do Festival de Música de Mafra “Filipe de Sousa”, a par de muitas outras actividades que desenvolve em Portugal, no Brasil, em Marrocos e em outros países, não só como solista mas também como membro do Juri de importantes concursos internacionais.

Constantin Sandu

A arte interpretativa de Constantin Sandu desenvolveu-se sob a influência dos seus mestres romenos – Sonia Ratescu, Constantin Nitu e, posteriormente, Constantin Ionescu-Vovu no Conservatório Superior de Musica “C. Porumbescu” de Bucareste – e de várias outras individualidades marcantes – Sequeira Costa, Dimitri Bashkirov, Helena Sá e Costa e Tânia Achot. A sua distinta personalidade artística alia o rigor e o respeito pelo texto musical a uma sensibilidade poética e a uma imaginação sonora cativantes. Desde o seu debute com orquestra, aos 14 anos, tem desenvolvido uma intensa actividade de concertista, que se estende por um período de mais de três décadas, concretizada em centenas de concertos em vários países europeus e asiáticos, tendo recebido louvores por parte do público e da crítica da especialidade. É detentor de vários prémios internacionais, nos concursos de: Senigallia (Itália, 1980 – 2º), Viotti-Valsesia (Itália, 1981 – 1º), Paloma O’Shea de Santander (Espanha, 1984 – Menção honrosa), Epinal (França, 1985 – 2º) e Maria Canals de Barcelona (Espanha, 1985 – 3º e Prémio especial “Alberto Mozzatti”). Tocou em Festivais de renome, tais como Enescu (Bucareste), Chopin (Paris), Santander, Festival de Primavera (Sevilha), Ciudad de Ayamonte, Figueira da Foz, Guimarães e Espinho. É solista regularmente convidado das principais orquestras romenas e de importantes orquestras europeias. Colaborou com maestros conceituados como Cristian Mandeal, Horia Andreescu, Ludovic Bacs, Emanuel Elenescu, Ilya Stupel, Thomas Koncz, Elena Herrera, Victor Dubrovski, Emil Hatchaturian, Meir Minsky, Mark Stephenson, Heribert Beissel, Marc Tardue, Johen Wehner, Robert E. Luther, Didier Benetti, Piero Bellugi e Rinaldo Muratori. Tocou em famosas salas de concerto em cidades como Bucareste, Barcelona, Valência, Granada, Saragoça, Toledo, Málaga, Lisboa, Porto, Londres, Paris, Berlim, Hamburgo, Roma, Turim, Madrid, Sevilha, Bratislava, etc. Foi membro de júri dos Concursos Vianna da Motta – Lisboa 2001, Cidade do Porto 1996, 1998, 2003 e 2010, Viotti – Valsesia 1995, Pinerollo – Cittá della cavalleria 1994 e 1996, Helena Sá e Costa – Aveiro 2004, Florinda Santos – São João de Madeira 2004, Ciudad de Toledo 2007 e Propiano – Bucareste 2008, 2009 e 2010. Ministrou inúmeras masterclasses no Porto, Aveiro, Gandia, Bucareste, Torrelodones, Lisboa e Santo Tirso. No âmbito da Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura, interpretou o Concerto nº 2 de Rachmaninoff com a Orquestra Nacional do Porto, participando na realização da integral dos Concertos deste compositor. Gravou vários CDs a solo, como solista da Orquestra Raízes Ibéricas, integrado noutros colectivos e em música de câmara. Em 2006 doutorou-se em música na Universidade Nacional de Música de Bucareste, com a tese A música portuguesa para piano. Vive em Portugal desde 1991. É professor de piano e Director do Departamento de Música na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto.

Jorge Martins

Nasceu no Porto, em 1954, cidade onde efectuou os seus estudos, tendo concluído os Cursos Superiores de Piano e de Canto do Conservatório de Música do Porto, nas classes de Hélia Soveral e Fernanda Correia, respectivamente. Simultaneamente concluiu a Licenciatura em Economia na FEP. Completou a sua formação pianística frequentando  inúmeros seminários, estágios e cursos orientados por M. Rybicki, J. Fassina, C. Helffer, M.F. Bucquet, V. Perlemüter, S. Costa, Constantin Illiescu, entre outros. Nos últimos anos tem integrado regularmente júris de Concursos Internacionais (Concurso Internacional Cidade do Porto,Grand Prix Animato em Paris, Piano Campus em Pontoise, Concurso Internacional de Música de Marrocos, Premio Giuliano Peccar (Gorizia) e Brescia Classica em Itália, Concurso de Rhodes na Grécia, Concurso Ásia-Pacífico em Macau, Hong Kong-Ásia Open Piano Competition, Figueira da Foz International Prize, Concurso integrado na Semana de Piano do Sardoal, entre outros). Integra o júri do Concurso Nacional de Música de Marrocos (Piano), sendo presidente do Júri delegado, juntamente com Abdel Rhaman ElBacha. Fundou os Encontros Internacionais de Jovens Pianistas em Viseu e realizou, com Marian Rybicki, Academias de Verão no Conservatório Regional de Viseu.É Director Artístico e Presidente do Júri do Concurso Internacional de Piano de Viseu.

luísa Tender

Luísa Tender nasceu no Porto, onde estudou piano com Anne-Marie Mennet (Conservatório do Porto), Pedro Burmester (Escola Superior de Música do Porto) e Helena Sá e Costa.Entre 1997 e 2000 estudou com Vitalij Margulis em Los Angeles; e, de 2000 a 2002, com Irina Zariskaya, no Royal College of Music em Londres. Aí obteve o grau de Master of Music em Performance Studies. Em 2004 obteve o Diplôme Supérieur d’Exécution em piano na École Normale de Musique de Paris.Foi premiada em diversos concursos de música. O seu primeiro CD (Bach and Forward) inclui obras de Johann Sebastian Bach, Franz Schubert e Claude Debussy e foi uma das escolhas do mês do Abril de 2009 da revista britânica Classical Music. O seu segundo trabalho discográfico, um CD duplo com obras portuguesas para violoncelo e piano com Bruno Borralhinho, foi publicado pela editora alemã Dreyer & Gaido (Berlim) e recebeu os melhores elogios da crítica (Fanfare, Strings Magazine, Das Orchester). Está actualmente a preparar, para a editora Naxos, a gravação integral das sonatas para piano de João Domingos Bomtempo. Foi durante dois anos lectivos assistente convidada de piano e música de câmara na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto. Actualmente, reside em Lisboa e ensina na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (ESART). Aí ensina Piano, Harmonização ao Piano, e Música de Câmara. Vários dos seus antigos alunos são já pianistas profissionais e professores de piano. Lecciona ainda no Mestrado em Ensino de Música da ESART, no âmbito do qual tem orientado vários trabalhos na área do ensino instrumental. Tem o título de Especialista em Performance de Piano. Orienta com regularidade classes de alto aperfeiçoamento de piano em Portugal e no estrangeiro. Luísa Tender foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e do Royal College of Music. Realiza regularmente concertos e recitais em Portugal e no estrangeiro. É investigadora em doutoramento no CESEM/ Universidade Nova de Lisboa, na área da Educação e Desenvolvimento Humano. É presidente da Assembleia-Geral da EPTA-Portugal (European Piano Teachers Association).

Tiago Nunes

Tiago Nunes, natural de Coimbra, cedo revelou paixão e aptidão para o mundo da música, tendo iniciado o estudo de piano desde cedo, no Conservatório de Música de Seia, onde concluiu o Curso Básico. Mais tarde frequentou o Curso Complementar de Piano no Conservatório de Música de Coimbra, na classe da professora Rita Dourado, tendo finalizado este com elevada e distinta classificação. Apostando sempre no crescimento e formação tem participado em diversas masterclasses de vários pianistas distintos nos quais se incluem: Aquilles Delle Vigne (Argentina/Bélgica), Fausto Neves (Portugal), Álvaro Teixeira Lopes (Portugal), Paulo Oliveira (Portugal), Luísa Tender (Portugal), Nancy Lee Harper (EUA/Portugal), Paul Badura-Skoda (Áustria), Rudolfo Rubino (Itália), Shao Ling (China), Yi Wu (China/EUA), entre outros. Concluiu a sua licenciatura em piano, variante performance sob a orientação do pianista Fausto Neves. No seu currículo já conta com vários prémios, distinções e recitais a solo por toda a Europa. Desde o início de 2015, é o diretor artístico do Ciclo de Concertos Coimbra que decorre em Março na cidade de Coimbra e que este ano contará com a sua quinta edição.  No seguimento da segunda edição, participou na fundação da Associação CulturXis da qual é presidente. É o diretor do concurso de piano de Oeiras desde a sua fundação. Na sua actividade como professor, conta com mais de 20 alunos premiados em concursos nacionais e internacionais. Desde 2017 que lecciona e coordena o departamento de piano no Conservatório de Artes do Montijo.